20 de setembro de 2010

Poesia

Mar de Português

Ó mar salgado, qunto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzamos, quantas mães choram,
Quantos filhos em vão rezaram!
Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!
Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.
Quem quer passar além do bojador
Tem que passar além da dor.
Deus do mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu.

Fernando Pessoa. Obra peética. Rio de Janeiro: Nova aguilar, 1990.

5 comentários:

Sandro disse...

Graça e paz, sempre!

Passei por aqui para conhecer seu blog.
Estou seguindo.
Ficaria muito feliz em me visitar e seguir.

Abraço em Cristo,

Sandro
http://oreinoemnos.blogspot.com/
Te espero lá.

Sonia disse...

Olá vim conhecer seu blog e estou te acompanhando
Gostei muito
http://blogdadonasonia.blogspot.com/
bjs

Geh*** disse...

Olá miguxa!!! Vim retribuir a visita ( rapida né??rsrs) e dizer que já to te seguindo.

b-jokas

Claudia Abrahão Ferreira disse...

Obrigado pela visita, seja sempre bem vinda! Espero que minhas dicas lhe sejam uteis! Estou seguindo o seu Blog também! Aprecio poesia! Beijos!

Márcia disse...

Minha querida e nova amiga;
Seja bem-vinda em meu blog e assim também em um pedacinho de minha vida... amei tudo por aqui... vejo que temos muito em comum!
Um beijinho especial em seu coração!
A paz de Cristo esteja com vc!
Sua nova amiga blogueira!

Postar um comentário